A vida na Índia sob o olhar de uma brasileira.

sábado, 17 de março de 2012

Coisas que se vê todos os dias na Índia

Bem, pessoal, o tempo está passando e andar nas ruas de Agra  já não é uma grande novidade pra nós. Já não olhamos ao redor com a mesma curiosidade de antes, e na maioria das vezes estamos no trajeto de casa para o escritório ou vice-versa.
Antes que nos acostumemos a ponto de não notar mais as diferenças (apesar de que duvido que isso possa acontecer), resolvi falar de coisas que acontecem ou que se vê todos os dias por aqui. Assim, quando vocês vierem aqui nos visitar, não vão ficar surpresos ou chocados demais J
E aí vai a seleção de coisas triviais da Minha Vida na Índia:

Três pessoas numa moto
Sim, ver três pessoas em cima de uma moto é super comum mesmo, algo que se vê a cada dois minutos. Comece a contar quando vir quatro pessoas, ou mesmo famílias inteiras como já vi mais de uma vez: homem, mulher e três crianças num veículo de duas rodas.
As situações arriscadas estão longe de parar por aí. As pessoas aqui dirigem sem se preocupar com o restante dos motoristas ao redor. Às vezes tenho a impressão de que retrovisores são meramente decorativos. É comum falar ao celular enquanto se dirige, o que contribui para a grande falta de cuidado no trânsito. Somado a isso, há todo tipo de veículo disputando as ruas mal pavimentadas: carroças puxadas por búfalos, tuk-tuks abarrotados de gente, riquixás (puxados por bicicleta), muitas motos e mini-motos do tipo scooter, ônibus sujos e caindo aos pedaços, caminhões (alguns deles sem carroceria), etc. Tudo isso contribui para o caos nosso de cada dia e as infernais buzinas que não param.

Pequena demonstração do que é o trânsito normal daqui.

Pessoas fazendo as necessidades fisiológicas na rua
Tá, não vou dizer que todos os dias se vê alguém defecando por aí, apesar de que acontece sim, só que um pouco mais escondido. Contudo, é recorrente ver homens urinando em qualquer lugar, e não se acanham se uma mulher estiver passando. Imagino que vocês dispensem a foto pra esse tópico, então vou deixar assim.
Falta de energia elétrica
Acontece todos os dias, não raro algumas vezes por dia. É tão comum que ninguém para o que estava fazendo, e não se ouve as lamúrias revoltosas típicas dos brazucas quando isso acontece.
Me fez pensar no conceito abordado genialmente nesse vídeo:
Pra quem entende inglês, fica a minha dica. Com muito bom humor, Louis C.K. reflete sobre como somos ingratos diante de tantas maravilhas ao nosso redor.
Mulheres carregando peso
Não sei se é de forma geral, mas ao menos nesse quesito o cavalheirismo passou longe daqui. É frequente se ver mulheres levando latas d’água ou outros volumes pesados sobre a cabeça. Inclusive há mulheres trabalhando em construções. Vimos certo dia uma cena em que vários homens estavam sentados no local da construção e as mulheres carregavam os materiais.

Mulheres carregando peso nas ruas de Agra.

Homens abraçados ou de mãos dadas
 “Que viadagem!” dizem os brasileiros quando veem uma cena assim hehe Sim, é um pouco difícil aceitar o fato como normal tendo sido criados numa cultura machista como a nossa. Eu mesma que procuro ser compreensiva e respeitadora das diferenças, confesso que acho bem estranho. Não se pode andar de mãos dadas com a mulher, mas é super normal dois homens crescidos se dando as mãos, andarem com o braço sobre o ombro do outro, ou mesmo pararem abraçadinhos na rua. Dizem que é como demonstração de amizade.



Ok. Acho que foi bastante material pra vocês “digerirem” por hoje. Enquanto isso, talvez eu tente trabalhar numa postagem sobre as coisas que não se vê na Índia. Por enquanto, posso dizer algo que não se vê por aqui: Chuva. O André está aqui há três meses; eu, há dois, e ainda não vimos chover. Dizem que a época das chuvas é no verão. Até lá não vou saber se é menos pior a poeira de agora ou a lama que deve se formar quando chover. Conto daqui alguns meses.

Nenhum comentário:

Postar um comentário