A vida na Índia sob o olhar de uma brasileira.

sábado, 14 de julho de 2012

Retrospectiva II

Na Índia tem de tudo...


Tem Mc Donald's com parte da cozinha reservada apenas pra alimentos vegetarianos...

Tem cabeleireiro...

Tem lugar pra passar as roupas...

Tem dromedário decorado dividindo a estrada com os carros na maior pompa...

Tem um grupo de búfalos atravessando a rua e até um vaidoso que posa pra foto :)

Agora pra encerrar segue a foto que na minha opinião é a mais hilária... dispensa comentários. Ou melhor, comentem e digam se esta também foi sua escolhida ou se alguma outra chamou mais atenção:








Hehe... Vou terminando por aqui. Talvez esta seja a última postagem diretamente da Índia em um bom tempo. Obrigada a todos os que me acompanharam nesta viagem. Estão prontos para o próximo destino? Maceió, Brasil! Vamos? 

Retrospectiva I

Oi pessoal. Pra encerrar essa primeira fase na Índia , aqui vai uma seleção no estilo fotolog de coisas que vi e vivi durante esses quase seis meses que morei aqui.

Minha primeira surpresa ao chegar na Índia ficou por conta do aeroporto de Nova Delhi, que tem porte de aeroporto de primeiro mundo e contraria as expectativas de quem foi advertido sobre a precariedade do país e estava preparado para o pior. Já a segunda "surpresinha" veio apenas alguns minutos depois, quando o motorista e eu fomos até o carro e eu estava prestes a me sentar do lado direito do veículo. Qual foi minha surpresa quando ele abriu a porta e o volante estava ali! Na verdade eu já sabia que, também por herança dos ingleses, aqui se dirige do lado direito do veículo e no lado esquerdo da rua, mas essa é uma coisinha difícil de a gente se acostumar!

Agora uma coisa que não deve ter sido herança dos ingleses é a vassoura:

A vassoura indiana: essa é pra deixar alguém corcunda.

Esta foto é apenas pra ilustrar uma coisa que me chamou atenção aqui: casarões às vezes até luxuosos em ruas de terra, ao lado de casebres sem energia elétrica nem água encanada. Não chegamos a ver um bairro nobre, como ocorre no Brasil e acredito que nas cidades grandes da Índia.
Este tipo de pintura de henna é uma arte muito comum entre as mulheres indianas, e é feito especialmente pelas que irão se casar em breve.

Eu passava todos os dias por esse lugar pra ir ao trabalho. A dinâmica das  pessoas  buscando água do poço, banhando-se em frente às casas... em meio a animais e vendedores de leite me intriga, me dá vontade de pintar um quadro.
Este item não tinha entrado em nenhuma postagem ainda pelo grau reduzido de relevância... mas será que mais alguém além de mim assistia aos episódios do Chaves e se perguntava o que é tamarindo? Talvez o meu tio Leandro ..."Quer o que tem sabor de tamarindo?" :)



Bem, essa foi a primeira sequência. Não deixem de dar uma espiada na próxima... guardei a melhor foto pro final.

quinta-feira, 12 de julho de 2012

What's up? Monsoon, a volta às aulas e uma prática um tanto estranha

Oi pessoal,

Como estou com meus dias contados aqui na Índia, tratei logo de preparar mais uma postagem antes que não sobre mais tempo até a viagem.

Por aqui o clima mudou bastante nos últimos dias. Chegou o monsoon - a estação das chuvas - que trouxe alívio para essa terra que não via água por longos meses. E quando ele chega, chega mesmo! Chuvas e ventos fortes com relâmpagos e trovões passam a ser constantes, e causam um certo transtorno por conta de acúmulo de água nas ruas despreparadas para tal. Contudo, as pessoas e os animais agradecem pela chuva, que trouxe com ela uma brisa agradável, dias nublados e temperaturas um pouco mais amenas.

Outra novidade foi a volta às aulas. Passamos a ver crianças em seus uniformes circulando por todos os lados e em todo tipo de meios de transporte. Gravatinhas e saias de prega evidenciam como o sistema escolar daqui mantém várias características herdadas dos ingleses.

Ônibus escolar em Agra./ School bus in Agra, India.

Crianças de uniforme escolar nas ruas de Agra.
Pra completar as atualizações, descobrimos algo que vai deixar muitos de vocês horrorizados: Nós já tínhamos notado caminhando por aí que a água do esgoto era desviada para algumas plantações. Na dúvida se isso era uma prática comum, André questionou o dono de uma fábrica (pessoa de classe social privilegiada) sobre esse assunto. O rapaz não só confirmou que essa prática existe, como acrescentou que o "adubo orgânico" é ótimo pra as plantações. Estou me referindo ao cultivo de alimentos mesmo... milho, tomate, e até aqueles que crescem embaixo da terra. Agora entendo porque as cenouras são escuras por fora :/
Mas não fiquem chocados, pessoal... comi essas coisas por quase seis meses enquanto morei aqui e em todo esse tempo tive no máximo uma dor de barriga, que aliás provavelmente foi causada pelo salame que trouxe do Brasil e não pela comida daqui. Enfim, milagres da natureza... praticamente um processo de reciclagem natural hehe

Bem, pessoal, vou encerrando por aqui... "Mas e a retrospectiva que você tinha prometido, Mari?"
Sim, sim... Não esqueci e ela vem logo a seguir. Não deixem de dar uma olhada porque vou contar sobre a surpresa que tive ainda antes de sair do aeroporto quando cheguei, e vou mostrar também fotos curiosas.

Até breve ;) 

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Despedida da Índia: Adeus ou até logo?

Namaste, pessoal!

Faltam apenas alguns dias pra voltarmos ao Brasil. Por isso os pensamentos já estão mais lá do que aqui. Vamos passar um período de férias juntos e depois o André voltará para a Índia, enquanto eu ficarei no Brasil pra concluir o meu curso de pedagogia na USP. Se tudo der certo, volto de mala, cuia e diploma na mão pra Índia no início do ano que vem.

Mas e se o projeto na Índia não der certo? E se eu nunca mais voltar pra cá?
Bem, se essa fase terminar tenho apenas que ser grata pela grande oportunidade que tive. Morar esse tempo na Índia foi uma experiência única, que nos modificou e passou a ser parte do que somos; por isso estará sempre conosco de alguma forma.

Mas o Minha Vida na Índia vai acabar? E, mesmo que eu volte, o blog vai ficar inativo por cinco meses?
Eu dei à luz este blog e sinto-me responsável por ele e por seus poucos leitores. Foi pensando no destino desta cria virtual que surgiu uma ideia: Tal como com qualquer filho, devo passar a levá-lo pela mão por onde quer que eu vá. Pode se transformar no meu diário de viagens, ou simplesmente de experiências e reflexões cotidianas. Por definição, um blog, ou seja, um diário virtual - exatamente o que essa criatura é e não vai deixar de ser.


Bem, e pra marcar esse momento de transição, decidi fazer um post (ou uma série de posts) apresentando uma retrospectiva dos quase seis meses que passei aqui na Índia.

Aguardem!